fev 032014
 

Matéria e fotos: Rodrigo de Aguiar

rodrigo@papareianews.com

Estátua recebeu a visita de devotos, que deixaram oferendas em sinal de agradecimento

Milhares de pessoas acompanharam na noite de ontem, no balneário Cassino, a 39ª edição da procissão em homenagem à Iemanjá, orixá considerado pelos umbandistas como a Rainha das Águas. Desde as primeiras horas do dia, a estátua recebeu a visita de diversos devotos e oferendas daqueles que tiveram alguma graça alcançada com sua ajuda. No Campo do Praião, diversos centros de umbanda de todo estado e até de fora dele montaram acampamentos, muitos deles chegaram no início da semana e participam das homenagens no município rio-grandino há muitos anos.

O movimento de chegada ao Cassino foi tranquilo. Nas primeiras horas da noite, a Polícia Rodoviária Estadual mobilizou o efetivo especialmente para a realização do evento e, ao longo da ERS 734, montou operações de controle dos condutores. A Secretaria de Município de Mobilidade Urbana e Acessibilidade disponibilizou o contingente de agentes de trânsito para orientar os motoristas sobre as mudanças realizadas no trânsito para este evento. A Avenida Rio Grande estava liberada para o fluxo de veículos até a Rua Alegrete, quando a partir dali o tráfego passou apenas a ser liberado para pedestres.

A Brigada Militar também trabalhou com o efetivo reforçado para atender à demanda de visitantes e utilizou viaturas no policiamento ostensivo e o pelotão de motos, que circulava por entre a população, o que na visão da maioria das pessoas trouxe um sentimento de segurança. Perto das 22h a caminhada de fé, comandada pelo gestor da URUMI, Pai Nilo de Xangô, foi iniciada e nem a forte chuva que caia desmobilizou os integrantes de centros espíritas que participavam do ato.

Comerciantes aproveitam para aumentar a renda mensal com estes eventos

A procissão se estendeu até o palanque oficial, montado ao lado da estátua de Iemanjá, onde lá foram abertos oficialmente os festejos em homenagem ao orixá. De lá seguiram-se os trabalhos espirituais durante toda a madrugada. Quem também beneficiou-se com a realização da festa foram os vendedores ambulantes, como foi o caso de Leonardo da Silva.

O artesão, natural de Passo Fundo, comercializa em um caminhão imagens sacras e todos os anos vem ao Cassino nesta época para tentar aumentar a renda com a venda dessas imagens. Ele disse que a procura por parte dos visitantes e fiéis esteve muito grande em 2014 e um dos fatores atribuídos a esta alta procura pode estar relacionado ao preço atrativo das peças, que fez com que as vendas não parassem desde o momento em que chegaram ao bairro-balneário, na manhã do dia primeiro.

O Rincão da Cebola recebeu bom público para a procissão de Nossa Senhora dos Navegantes

Já neste domingo foi a vez dos católicos homenagearem Nossa Senhora dos Navegantes. Como tradicionalmente acontece, a procissão foi realizada nas águas da Lagoa dos Patos, atraindo diversos rio-grandinos para a beira do cais, que jogaram velas, flores e moedas para a santa protetora dos navegadores. A procissão, que neste domingo completou a sua 203ª edição, voltou a passar por Rio Grande, pois no ano passado, em virtude do choque entre duas plataformas, ocorrido por causa de um temporal de vento, a Capitania dos Portos optou por não permitir que as embarcações atravessassem o Canal Miguel da Cunha, deixando inúmeros fiéis sem explicações na orla do Porto Velho a espera da passagem da santa.

Quem estava no Rincão da Cebola esperando a procissão era a estudante Silvia Elisângela. Ela, que montou com a família uma barraca improvisada com a tampa do porta-malas do carro, disse à nossa reportagem que este é o segundo ano que acompanha o evento e sua tia, Ivânia da Silva, comparece religiosamente há seis anos.

Mesmo com o forte calor, centenas de pessoas acompanharam o evento religioso

Segundo Ivânia, o motivo da devoção em Nossa Senhora dos Navegantes tem relação com uma complicada cirurgia que seu filho realizou. Ela contou que alguns dias antes do dia 2 de fevereiro de 2008, ele foi transferido para um quarto, no Hospital Universitário, que ficava de frente para a Lagoa dos Patos e no dia subsequente a procissão daquele ano, ao entrar no quarto, ela encontrou o rapaz sentado na cama. Sendo milagre ou não, ela optou por frequentar a procissão anualmente depois disso.

Em uma bolsa plástica, a simpática senhora trazia um ramo de flores, que seria jogado ao mar em sinal de agradecimento e pedido de proteção para mais um ano que se inicia. Para ela é muito importante cultivar a fé em Nossa Senhora dos Navegantes, principalmente quando são vivenciados momentos delicados em família. “A fé move montanhas e é tudo como um sonho: as pessoas devem acreditar. Se não fosse a minha fé, eu não saberia onde estaria atualmente.”, explicou ela.

Pontualmente, às 16h45, a imagem de Nossa Senhora passou em frente às docas do Mercado Público

Nem a forte temperatura de 35°C afugentou as pessoas, que acompanharam das docas do Mercado Público a passagem da procissão, que contou com o apoio da Capitania dos Portos com a disponibilização de embarcações e um helicóptero para a fiscalização de quem participava do evento. Pontualmente, às 16h45, a imagem de Nossa Senhora passou em frente às docas: um momento de fé, em que as pessoas arremessaram moedas e flores nas águas da Lagoa dos Patos.


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/joses963/public_html/papareianews.com/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1044